15/09
2009



Após quase dois anos de batalha nos tribunais, a Justiça proibiu o culto religioso nos trens.

Por decisão unânime, os desembargadores da 12a Câmara Cível determinaram que a SuperVia (concessionária que administra a malha ferroviária) coloque, em até 30 dias, avisos nas estações e nos trens, orientando os usuários sobre a proibição. A multa diária, no caso de descumprimento, é de R$ 1 mil.

Publicada no último dia 4, a decisão dá vitória à ação do Ministério Público Estadual (MPE). Ela estabelece que a pregação seja interrompida por autoridade policial. Mesmo com a sentença favorável, o promotor Rodrigo Terra argumenta que a Justiça “aliviou” para a SuperVia, por não determinar a apreensão de instrumentos que eventualmente são usados nos cultos.

— A realidade mostra que medidas mais difíceis, como foi a implantação do vagão para mulheres, foi colocada em prática sem problemas. Mas o principal é que a demanda pela proibição do culto foi atendida — afirma o promotor Rodrigo Terra.

Fonte: O Globo
Isso ai, dêem uma olhada na imagem:

Mulher conduz culto no trem na linha que liga Campo Grande à Central. Foto: Luiz Morier

Imagine agora você, ateu ou de outra religião indo trabalhar e ser obrigado a aturar essas aberrações todos os dias.

Sim, o título do post é irônico.

Blog Widget by LinkWithin
Be Sociable, Share!

1 Comentário até agora

Comente também
  1. Concordo, ninguém é obrigado a ficar ouvindo pregação de ninguém.
    Espero que criem uma lei que não permita a entrada de bebados e pessoas fedendo, pois ninguém merece aturá-los né?